loading
Guia para descobrir os 6 benefícios físicos do orgasmo feminino

Guia para descobrir os 6 benefícios físicos do orgasmo feminino

O prazer, a intensidade, a exultação e o encantamento são as suas facetas mais visíveis. Porém, a ciência tem avançado cada vez mais fundo e os benefícios físicos do orgasmo feminino têm sido matéria de um estudo bastante complexo.

Num artigo de duas partes, a equipa da Flame vai levar até si, por meio da palavra, os vários benefícios físicos, psicológicos e sociais agregados ao orgasmo, que têm sido defendidos em diversos estudos científicos. São muitos e merecem ser destacados.

Para já, comecemos pelos benefícios físicos - os benefícios 9 benefícios psicológicos podem ser consultados aqui. Preparámos-lhe um guia onde desvendamos os 5 mais importantes – o nosso preferido é o 1:

1 - Ajuda a viver até mais tarde

As mulheres com uma atividade sexual bastante regular e intensa são propensas a ter uma vida mais longa.

Há assim uma relação entre o sexo ativo e a duração da vida feminina. (1 e 2)

2 - Dimui o risco de avc's e doenças de coração

Mulheres que fazem sexo duas ou mais vezes por semana têm menor probabilidade de sofrer doenças fatais, como avc's ou problemas no coração. Por outro lado mulheres que reportaram ter sexo apenas uma (ou menos) vez por mês, têm uma maior hipótese de padecer destas anomalias. (3)

3 - Previne o Cancro da Mama

Com o orgasmo os níveis de oxitocina sobem abruptamente no corpo humano. Esta hormona é responsável pelo prazer e pela empatia, mas não só. A sua produção em grande quantidade tem sido estudada como um fator de prevenção do cancro da mama. (4) 

4 - Aumenta a fertilidade

Se está a pensar engravidar nos próximos tempos, aumentar o ritmo da sua vida sexual e, consequentemente, dos seus orgasmos é uma solução pertinente. Foi demonstrado que ter relações sexuais 4 ou mais vezes por semana aumenta em 80% a possibilidade de gerar uma nova vida. Do outro lado da moeda, as mulheres que têm relações apenas uma vez por semana vêm as suas possibilidades de engravidar descer para 17%. (5)

5 - Regula o Ciclo Menstrual

Mulheres que têm relações sexuais pelo menos uma vez nas semanas em que não estão menstruadas, aumentam as probabilidade de ter um ciclo mentrual constante comparativamente àquelas cujas relações só acontecem esporadicamente ou são celibatárias. (6)

 

Concluindo

A maneira de ver se algum destes benefícios físicos têm reais efeitos na sua saúde é só uma: criar uma rotina de actividade sexual cheia de prazer e... orgasmos.

Hoje em dia é muito comum vermos pessoas a motivarem-se com desafios: fazer uma viagem por ano, ler um livro por mês, deitar-se todos os dias meia hora mais cedo, etc. Que tal fazer você também o seu? Ter um orgasmo por dia.

Não precisa de contar a ninguém e verá que a sua saúde e bem-estar vão melhorar muito.

Nós prometemos dar uma ajuda ao disponibilizar-lhe uma gama de vibradores bastante variada, com uma qualidade acima da média. Tem muito por onde escolher: desde os clássicos, gelatinosos, com aquecimento, dupla penetração, sofisticados, etc.

Daqui a uma semana trazemos-lhe a segunda parte do artigo, com os benefícios sociais e psicológicos desta actividade divina.

 

Qualquer dúvida que tenha não hesite em contactar-nos para as redes sociais, e-mail ou whatsapp (962990000). Esperamos vê-la um dia na nossa loja, em Almada, onde poderá falar pessoalmente com os nossos assistentes que estão totalmente aptos a responder a todas as suas questões.

 

Caso tenha mais interesse, em baixo poderá encontrar todos os estudos que comprovam cada um dos benefícios:

1)     Starr, Bernard D. & Marcella Bakur Weiner. (1981). The StarrWeiner Report on Sex & Sexuality in the Mature Years. New York: Stein and Day Publishers.

2)     Palmore, E. (1982). “Predictors of the Longevity Difference: A Twenty-Five Year Follow-Up.” The Gerontologist, 22, 513– 8.

3)     Ebrahim, S., et al. (2002). “Sexual Intercourse and Risk of Ischaemic Stroke and Coronary Heart Disease: The Caerphilly Study.” Journal of Epidemiology Community Health, 56, 99–102.

4)     Murrell, T.G.C. (1995). “The Potential for Oxytocin (OT) to Prevent Breast Cancer: A Hypothesis.” Breast Cancer Research and Treatment, 35, 225–9.

5)     Wilcox, Allen J., et al. (1995). “Timing of Sexual Intercourse in Relation to Ovulation: Effects on the Probability of Conception, Survival of the Pregnancy, and Sex of the Baby.” New England Journal of Medicine, 333(23), 1517– 21.

6)     Cutler, Winnifred B. (1991). Love Cycles: The Science of Intimacy. New York: Villard Books.