loading
Guia para descobrir os 9 benefícios psicológicos do orgasmo feminino

Guia para descobrir os 9 benefícios psicológicos do orgasmo feminino

Depois de nos termos focado nos benefícios físicos, é hora de passar para a segunda parte da nossa viagem pelo mundo orgásmico. O tópico de hoje são os benefícios psicológicos do orgasmo feminino.

Deixando as trivialidades e os fait-divers de lado, devido à importância deste assunto para todas as mulheres que nos seguem, fomos até ao campo da ciência procurar estudos de valor na área.

São 9 os grandes benefícios que levamos até si por intermédio do ecrã. Depois de ler o guia que lhe preparámos, é provável que se sinta genuinamente comprometida com a missão de dar a si própria um orgasmo por dia.

Consulte abaixo a lista que a equipa da Flame love Shop preparou para si – o nosso preferido é o 4:

1 - Ajuda a dormir melhor

A atividade sexual é responsável por mexer em vários aspectos do organismo feminino, um deles é  a maior produção de oxitocina e endorfina, duas hormonas que podem agir como calmantes para o corpo. Um grande aliado na luta a favor de um sono mais profundo.

Assim, muitas mulheres justificam que uma das razões para se masturbarem é o facto de poderem dormir melhor. (1)

2 - Rejuvenesce

As aparências iludem. Conhece esta expressão? É que as mulheres que aparentam ter cerca de 10 anos a menos, têm uma vida sexual bastante mais ativa que a média.

Se quer parecer mais nova, já sabe por onde começar. (2)

3 - As calorias diminuem e o nível de exercício aumenta

O sexo é um reboque para várias outras áreas da vida diária, deste modo, quando a atividade sexual é mais intensa os hábitos alimentares e de exercício físico tendem a melhorar. Esta sinergia sexual só traz vantagens para a rotina feminina. (3)

4 - Aumenta os níveis de qualidade de vida

Experiência sexual intensa e qualidade de vida são dois fatores amplamente relacionados. Uma vez que altos níveis de satisfação sexual estão ligados a altos níveis de qualidade de vida. Para além disso, o orgasmo recorrente é um fator-chave para a felicidade na vida feminina. (4 e 5)

5 - Apoio contra a depressão

Maior masturbação é sinónimo de menor probabilidade de entrar numa depressão. E também no foro psiquiátrico há vantagens, uma vez que relações sexuais constantes ajudam a minimizar a necessidade de medicamentos por parte dos doentes psiquiátricos. (6)

6 - Diminui a violência

O prazer e a propensão para a violência têm uma relação forte, mas oposta. Ou seja, a presença de um estado inibe o outro. Assim, as culturas que aceitam o sexo antes do casamento têm graus de violência muito menores que as culturas que são contra esta prática. (7)

7 - Reduz o stress

A atividade sexual é responsável por diminuir os níveis individuais de stress, isto deve mais uma vez à hormona oxitocina, que acompanha o orgasmo. Há uma relação entre baixos níveis de oxitocina no corpo e níveis elevados de stress. Um orgasmo ajuda a libertar a tensão, pois a oxitocina estimula o relaxamento.

Deste modo, muitas mulheres explicam que a principal razão para se masturbarem é o relaxamento consequente dessa atividade. (8)

8 - Eleva o grau de auto–estima

Experiências sexuais positivas aumentam o nível de auto-estima com o parceiro. Outro grande fator responsável pelo aumento da confiança é a aceitação das fantasias e desejos sexuais próprios.

Assim, uma noite intensa passada ao lado da cara-metade, cheia de orgasmos e exploração de fantasias, será responsável por uma explosão de auto-estima. (9)

9 - Desenvolve a intimidade

As oxitocinas libertadas durante o orgasmo têm mesmo um poder mágico. Para além dos pontos desenvolvidos acima, estas hormonas também são responsáveis por estimular sentimentos de afeto, intimidade e proximidade com o parceiro (10).

 

Concluindo

A equipa da Flame Love Shop espera ter contribuído para aumentar os seus níveis diários de oxitocinas. Mas não é tudo...

Se no último artigo lhe propusemos uma variada gama de vibradores, neste artigo temos outra sugestão. Que tal levar os seus orgasmos para o banho?

Pode ser sozinha ou acompanhada, mas tem de tirar uns minutos de puro prazer para si. Para isso dedicamos-lhe um amplo conjunto de géis e sais de banho, totalmente afrodisíacos.

Caso ainda não tenha visto a primeira parte deste artigo referente aos benefícios físicos do orgasmo feminino, convidamo-la a ler aqui.

 

Qualquer dúvida que tenha não hesite em contactar-nos para as redes sociais, e-mail ou whatsapp (962990000). Esperamos vê-la um dia na nossa loja, em Almada, onde poderá falar pessoalmente com os nossos assistentes que estão totalmente aptos a responder a todas as suas questões.

 

Caso tenha mais interesse, em baixo poderá encontrar todos os estudos que comprovam cada um dos benefícios:

1)           Ellison, Carol Rinkleib. (2000). Women’s Sexualities. Oakland, CA: New Harbinger Publications, Inc

2)           Weeks, David & Jamie James. (1998). Secrets of the Superyoung. New York: Berkley Books.

3)           Ellison, Carol Rinkleib. (2000). Women’s Sexualities. Oakland, CA: New Harbinger Publications, Inc.

4)           Weeks, David J. (2002). “Sex for the Mature Adult: Health, SelfEsteem and Countering Ageist Stereotypes.” Sexual and Relationship Therapy, 17(3), 231–40

5)           Marwick, Charles. (1999). “Survey Says Patients Expect Little Physician Help on Sex.” JAMA, 281(23), 2173–4.

6)           Stiefelhagen, S. (1994). De social erotische dienstverlening. In: Seks, lang zo gek nog niet. Symposium over seksualiteit en relaties in de psychiatrie. Rutgers Stichting Eindhoven. [The Social-Erotic Services. Presentation in the Symposium on Sexuality, Relationships and Psychiatry. Eindhoven, Rutgers Foundation]. As cited in Gianotten, et al., 2007.

7)           Prescott. (2005). “Prevention or Therapy and the Politics of Trust: Inspiring a New Human Agenda.” Psychotherapy and Politics International, 3(3), 194–211.

8)           Ellison, Carol Rinkleib. (2000). Women’s Sexualities. Oakland, CA: New Harbinger Publications, Inc

9)           Hurlbert, David Farley & Karen Elizabeth Whittaker. (1991). “The Role of Masturbation in Marital and Sexual Satisfaction: A Comparative Study of Female Masturbators and Nonmasturbators.” Journal of Sex Education & Therapy, 17(4), 272–82

10)         Odent, Michel. (1999). The Scientification of Love. London, UK: Free Association Books Limited